Zefish

Borrachos de cegonha

Aproveitando o facto de o mar se encontar revolto demais para a uma ida à praia ou para pescar, fui visitar alguns ninhos de cegonhas das arribas para ver como se encontravam.

Arribas do Sudoeste

Alguns dos casais que aqui nidificam conseguiram assegurar a sua descendência, podendo pois encontrarmos na maioria dos ninhos um ou dois borrachos, que aprenderam a agarrar-se à vida num ambiente frágil e agreste.

Borrachos no ninho

Borrachos no ninho

Enquanto alguns esperam pelos pais que se encontram nos campos vizinhos à procura de comida, outros gozam da companhia dos mesmos já mais saciados com um repasto farto e recente.

Borrachos no ninho

Borrachos no ninho

Alguns casais porém, não conseguiram manter os seus borrachos vivos. Seja por doença, por uma queda do ninho, um ataque de uma gaivota ou mesmo de uma raposa, os filhotes sucumbiram. Mesmo assim o casal mantêm-se junto e trata do ninho para que no ano que vem possam tentar de novo.

Começar de novo

Praia dos Alteirinhos

De todas as praias que tenho mostrado neste espaço, há uma que tenho de destacar pela sua beleza, localização, acessibilidade e excepcionais condições para banhos e para a prática da pesca desportiva. Trata-se da praia dos Alteirinhos e há muito que é procurada por muitas das pessoas que passam as suas férias na Zambujeira do Mar.

Praia dosd Alteirinhos

Praia dos Alteirinhos

Quase inacessível há cerca de duas dezenas de anos, com veredas só conhecidas dos pescadores locais e de alguns afortunados, foi recentemente beneficiada com a conclusão de uma escadaria que democratizou o seu acesso com todas as vantagens e desvantagens inerentes.

Praia dos Alteirinhos

Com efeito muitos tratam de acarinhar a praia como uma jóia desejada e a preservar, mas outros há que a desprezam, não tendo pejo em abandonar o lixo que criaram com a sua estadia, quer no areal quer no seu acesso, esquecendo que a praia é de todos e, como tal, pelo menos temos que nos fazer respeitar, respeitando os outros.

Praia dos Alteirinhos

Mas passemos às maravilhas que este local nos reserva. Quem, como eu, gosta de aliar uns bons banhos nas poças naturais ou nos carreiros de água limpa e fresca à possibilidade de uma boa pescaria, está no sítio certo e aqui deixo umas dicas.

À Tiagem

À Tiagem

Enquanto a maré o permite podemos tentar apanhar uma das melhores iscas que existem. A tiagem é comedia natural da maioria dos peixes e pode ser encontrada junto às rochas onde os mesmos, na maré cheia, mariscam e procuram alimento. Enquanto juntamos um “bolo” dessas minhocas, podemos encontrar um marisqueiro que apanha alguns percebes nessas mesmas rochas.

Aos Percebes

À conversa

Depois de trocar algumas impressões sobre o estado do mar e do estado dos fundos, é altura de começar a pescar num dos muitos locais que se podem escolher de acordo com as condições existentes.

Praia dos Alteirinhos

Pedras das douradas

Com um pouco de sorte os resultados podem ser muito recompensadores e levam a que umas férias sejam lembradas por muitos anos nas conversas entre pescadores e amigos. Foi o que aconteceu neste fim de semana e, em dois dias seguidos, consegui um bom lote de peixes para mais tarde recordar.

Dia 1

Dia 2

Boas férias e ajudem a manter as praias limpas, como as gostamos de encontrar.

Odemira Medieval

A 28 de Março de 1256 D. Afonso III de Portugal, poucos anos após a conquista definitiva do Algarve e na senda do povoamento do Reino, atribuiu o Foral de Vila a Odemira.

Odemira Medieval

Passados que foram 750 anos, e no âmbito das celebrações que foram dedicadas a tal efeméride, realizaram-se várias iniciativas das quais podemos destacar aquela que hoje foi levada a cabo pelo Agrupamento de Escolas de Odemira, recriando um cenário próximo do que poderia ter sido vivido na época para festejar tal acontecimento.

Odemira Medieval

As Damas com o seu séquito de jograis, os Cavaleiros embrenhados nos seus torneios de treino para a guerra e o Povo da Vila, foram recriados para que tudo pudesse ser de tal modo que servisse não só de entretenimento mas também de lição para os que participaram e assistiram.

Odemira Medieval

Odemira Medieval

Odemira Medieval

Odemira Medieval

Odemira Medieval

25 de Abril

A poucos minutos de começarem as comemorações do 25 de Abril, dia da Liberdade, em Odemira estão prestes a começar as festas que assinalam tal efeméride. Às 00:00 do dia 25, na Praça da República, canta-se a “Grândola Vila Morena”  lembrando a senha daquela madrugada que mudou as vidas dos que a viveram e das gerações posteriores, ao que se seguem o Hino Nacional e a descida para o largo dos eventos onde todos podem apreciar o concerto agendado para essa madrugada.

Praça da República em Odemira

Grândola Vila Morena

Festa com uma participação popular genuína e irreverente, atrai multidões oriundas de todos os cantos do Concelho que, lembro, é o maior de Portugal.

Festa

Festa

Luís Represas

A todos desejo um dia feliz.

Abril em Flor

Abril em Flor

Abril em Flor

Abril em Flor

Abril em Flor

Abril em Flor

Abril

Na véspera das comemorações do dia da Liberdade dou conta neste espaço do trabalho realizado em 2004/2005 por alguns alunos do 5º e 6º anos da Escola Básica e Secundária de S. Teotónio para assinalar essa data.

Abril

25 de Abril

Liberdade

Este trabalho pode ser visto na sua totalidade na entrada do recinto da FACECO em S. Teotónio, onde o painel completo foi instalado para apreciação mais cuidada.

Painel

“…Nasci aqui no mês de Abril
quando esqueci toda a saudade
e comecei a inventar em cada gesto
a liberdade…”

José Fanha

Dia da Terra

 “… tudo sai da terra e tudo volta à terra…”

Xenófanes de Cólofon – Filósofo pré-Socrático (570-528 a.C.)

Monte dos Pinheirinhos 

O Monte dos Pinheirinhos associa-se às celebrações do Dia Mundial da Terra com uma mostra de algumas das flores que crescem naturalmente à volta da casa.

Flores

Flores

Flores

Filhas dilectas da Terra, nascem para dar vida ao mundo e prazer aos nossos sentidos, numa paleta de cores e cheiros que nos revigoram a alma.

Flores

Flores

Flores

Flores

Flores

Flores

Finas e delicadas, possuem um mundo de pequenos detalhes que a nós passam despercebidos mas que aos olhos dos insectos, por exemplo, revelam uma linguagem que apenas conhecemos superficialmente, pelo que muito há a preservar de modo a podermos continuar a compreender este mundo que nos rodeia.

Flores

Flores

Flores

Flores

Flores

Clássicos e Petiscos

Decorre no dia 30 de Abril um passeio em carros antigos, pelas freguesias de S.Teotónio e Zambujeira do Mar, percorrendo lugares de interesse paisagístico e cultural dessas duas localidades. Tanto o artesanato como a gastronomia serão referências ao longo do passeio dando assim a conhecer algumas das potencialidades locais.

Clássicos e Petiscos

O Sudoeste é lindo

Estamos em Abril e todo o sudoeste alentejano apresenta uma roupagem de Primavera, com as praias e os campos a convidarem a viajar, especialmente num domingo de sol e temperatura de sonho como hoje.

Sudoeste

E num bote chamado Sudoeste navegamos por locais de sonho que, graças às ondas do mundo virtual, aqui deixo nestas imagens das paisagens e portos de passagem, como um diário de bordo da nossa viagem.

Fonte Mouro

Praia do Almograve

Lapa das Pombas

De vez em quando podemos avistar no alto das arribas vigias atentos aos movimentos do mar e dos seus viajantes, na tentativa de desvendar os seus segredos.

Muro da Zambujeira

Praia da Zambujeira

Pescador

Praia dos Alteirinhos

E, entre dunas e campos em flor, percorremos a costa da última fronteira da Europa.

Touril

S. Teotónio

Praia da Carriagem

Já chegados, logo as saudades nos assaltam, sob a forma de um pôr do sol que nos pôe a desejar que o novo dia chegue para de novo navegar.

Zambujeira do Mar

Pôr do Sol no Monte

Om Tat Twam Asi

Socorrido pelo Borda D’Água aqui lembro que no passado dia 22 se celebrou o começo de um novo ano no calendário indiano, mais precisamente o ano de 1928.

A Vida

La Vida – Lisa Rivas

Deixo aqui algumas imagens de mandalas, tentativas de ilustrar a serenidade e harmonia que ao longo de uma vida muitos tentam encontrar, bem como a dificuldade e a fragilidade que tal harmonia demora a conseguir e a manter.

Mandala do Tibete

Mandala do Tibete – Mike Seymour

A palavra mandala significa círculo, tradução livre do sânscrito, e lembra a nossa relação com o infinito bem como a interacção entre o macro e o microcosmos e a estrutura e interligação da vida de cada um e de todos.

Om com Pétalas de Lótus

Om com Pétalas de Lótus – Debbie Striker

Touro

Taurus – Lindy Longhurst

Amores Perfeitos

Amores Perfeitos – Komra Moriko

Page 8 of 12«...678910...»