Robalo para o jantar

Passado um ano e pouco sobre o início deste Blog, hoje, para lá das imagens de praias, pesca e peixe que costumo mostrar, incluo uma sugestão culinária a condizer e em jeito de celebração do evento.

Zambujeira do Mar

Com efeito, um dos motivos que me levou a optar por viver nesta costa, prende-se com a minha paixão pela pesca, que por aqui é sempre em locais de sonho e com resultados muitas vezes surpreendentes.

Palheirão da Zambujeira

Alteirinhos

Alteirinhos

Muitos, tal como eu, não resistem ao apelo do mar e, desde que as condições o permitam, não hesitam em enfrentar o frio que se tem sentido e procurar os pesqueiros da sua preferência para tentar não só apanhar um bom exemplar, mas também conseguir uma refeição de fazer inveja.

Hortas

Elias

Desta vez, visto que não tenho tido hipóteses de enfrentar a invernia, foi o amigo Zé Luis que ofereceu um robalo legítimo de grande calibre e por ele apanhado que serviu para juntar os amigos à volta da mesa num jantar em que se tentou fazer justiça a tal exemplar. Foi grelhado à posta em carvão de azinho e acompanhado com batatas e couve-flor cozidas, temperadas com um molho de cebola e maçã refogadas em vinho da Madeira e pasta de caril de Madras, batidas com queijo fresco e coentros. E é nestas alturas em que a expressão “um verdadeiro manjar dos deuses” faz sentido.

Robalo para o jantar

Robalo para o jantar